A Escola Secundária Adolfo Portela continua a oferecer, no presente ano letivo, a disciplina de Mandarim, como complemento curricular, diversificando a sua oferta educativa, numa parceria com a Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Adolfo Portela (APEDESAP).

As aulas começaram no início de novembro e estão a ser asseguradas pela docente Han Ying, nascida na cidade chinesa de Tian Jin, nos arredores de Pequim.

Estão, neste momento, a funcionar duas turmas: uma de continuação, constituída por alunos que iniciaram os seus estudos na língua chinesa no ano letivo transato, com cerca de quinze alunos; outra, de iniciação, essencialmente para alunos do ensino básico, com cerca de vinte alunos. São cerca de trinta e cinco alunos que se iniciam ou dão continuidade a esta aventura na aprendizagem de uma nova língua que será, com certeza, uma mais-valia para o futuro destes alunos.

No dia 30 de outubro os voluntários dos projetos Águeda Volunteering Land e VolunteersPoint 2.0 vieram à Escola Adolfo Portela e partilharam, na primeira pessoa, a sua experiência numa atividade de disseminação de oportunidades na área da juventude.

As turmas do 11ºA e 11ºF tiveram, assim, a oportunidade de os questionar e trocar impressões numa experiência única e multilingue em que todos ganham algo.

 

O No âmbito da comemoração do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, a nossa biblioteca levou a cabo a atividade designada “outubro na biblioteca”, com os objetivos específicos de reforçar o gosto pelo espaço físico da mesma e sua ambiência e incentivar o gosto pela leitura e leitura autónoma. Tendo como destinatários todos os alunos do sétimo ano de escolaridade envolveu, também, as respetivas professoras de Português.

O ambiente proporcionado gerou entusiasmo e muito boa disposição … ah, e boa leitura e conhecimento, também. A professora bibliotecária, Helena Pires, na qualidade de autora, ofereceu um exemplar do seu último livro a todos os alunos, intitulado “atejaefiquembe@ - livro 2, com ilustrações de César Pereira, o qual criou expetativa e mereceu atenção por parte de todos os presentes. E foi mais encontro na nossa biblioteca. 

O célebre pensamento do filósofo francês Albert Camus “A juventude é, sobretudo, uma soma de possibilidades” foi o ponto de partida para um concurso de ideias, que levasse os jovens a pensar e problematizar a sociedade onde estão inseridos e dar-lhes voz ativa. Esse concurso teve como título “Resolve um problema, ajudar está cada vez mais na ponta dos teus dedos.”

Felizmente, e contra todas as ideias preconcebidas em relação à inércia e desconhecimento dos jovens em relação ao mundo que os rodeia, muitas foram as equipas que se debruçaram sobre esse tema e participaram. Estão todos de parabéns. Estas equipas serão devidamente e publicamente reconhecidas, no dia 3 de abril, Dia aberto da escola.

Clique em "Ler Mais" para ficar a saber todas as ideias...

No sentido de promover a consciência cívica e reforçar os laços socioafetivos, a nossa Escola levou a cabo, mais uma vez, o peditório para a AMI. Com enorme carinho e dedicação, os alunos Paulo Gonçalves, César Almeida e Pedro Correia mostraram como, de uma forma agradável, porém, consciente, se pode transformar a partilha financeira, também numa partilha de afetos. O Peditório integra o Plano de Atividades da nossa biblioteca.

 

Go to top